O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO NO CONTEXTO POLITICO E CIENTIFICO DO MUNDO GLOBALIZADO.

Quer queira, ou não,  “ambientalista e socialistas” devem passar a entender que a cadeia do AGRONEGÓCIO diante das transformações do mundo nas ultimas décadas, depende do sistema político e cientifico para garantir a sustentabilidade ambiental
entre o fator  “produção e população”.

O AGRONEGÓCIO envolve pequenos, médios e grandes produtores rurais sem qualquer discriminação, bem como o regime democrático garante a liberdade na formação de pequenas, medias e grandes empresas e/ou cooperativas dentro das diferentes atividades.

O processo científico, gera tecnologia que abre espaço para a criação de diversas indústrias de qualquer porte nos mais diversos setores, seja de metalúrgica, dos automotores, do sistema produtivo (insumos,fertilizantes e defensivos), industrias têxtil, de calçados e do processamento de alimento, além do transporte na distribuição dos produtos até o varejo.

Se a cadeia do AGRONEGÓCIO engloba diversos setores da economia, abre espaço para emprego a inúmeras VOCAÇÕES PROFISSIONAIS, que vai desde a  formação técnica e agronômica em ciências agrárias e veterinária, até a engenharia química mecânica e civil,  isto tudo é parte da tão combatida cadeia do AGRONEGÓCIO BRASILEIRO.

E daí!!! ….Bem, … cada um nos seus direitos…. entre a ideologia e o produto…eu fico com o que se produz, e você??? 

Para os AMBIENTALISTAS, a área explorada com a produção agropecuária destrói a biodiversidade e afeta o planeta,… Para os SOCIALISTAS a organização do capital econômico aplicado na produção agropecuária escraviza o homem, …. mas que homens??? Os que integram os “movimentos sociais” …???

Vamos as origens,, …. Se iniciarmos pela história Bíblica, para enfrentar
a catástrofe, Noé reuniu trabalho e capital, destruiu algumas arvores, e construiu
uma das maiores embarcações, salvando assim a diversidade de espécies de
animais e vegetais, hoje existentes na terra. Passar dos tempos a mãe natureza
se regenerou e o homem se multiplicou formando suas comunidades, suas tribos e seus quilombos.

Nas tribos, os Índios em pequenas aldeias sobreviveram do extrativismo da biodiversidade em grandes extensões de terra. Nos quilombos as famílias se mantém das pequenas lavouras de subsistência  pouco diversificada, com baixa produtividade… Já os homens das comunidades viviam da exploração das riquezas naturais.

Aos poucos as comunidades se multiplicaram e na busca pela sobrevivência,  as pessoas passaram a se unir em grupos, cada qual com seu reinado e suas organizações.

Na subdivisão territorial cada povo adotou seu regime político de governar, desde o comunista ao capitalista.

No entanto os processos científicos têm demonstrado que a tecnologia é a maior
ferramenta que o homem dispõe para garantir a sustentabilidade do planeta.

Nesta guerra entre os regimes políticos, o comunista subdividiu e faliu
(restando Cuba, que aos poucos vai introduzindo uma forma de capitalismo controlado), de outro lado o capitalista enfrenta as conseqüências, mas
prospera investindo cada vez mais na criação e aplicação de novas
tecnologias em benéfico da qualidade de vida do homem e da preservação do meio ambiente.

Em meio ao capitalismo, os COMUNISTAS remanescentes alienados a grupos missionários, buscam através dos “movimentos sociais e ambientais” se manterem na liderança ideológica do “daí a mim o vosso reino”.

Os “SOCIALISTAS” na justificativa de que a “Política Socialista” é a garantia da sobrevivência dos pobres, e os AMBIENTALISTAS, afirmando que o simples extrativismo e a salvação da biodiversidade do planeta, cada qual com sua tese… Alienados, estes “Ambientalistas e Socialistas” se originaram dos homens que viviam explorando as riquezas naturais,  ignoram a política de investimento de capital, de trabalho e da ciência tecnológica no sistema produtivo, como se a mãe natureza por si só, reproduza alimento para toda a humanidade.

Isolados estes “ambientalistas” integrantes de meia dúzia de ONGs internacionais, continuam explorando novas aldeias indígenas existente nas florestas, com a desculpa de civilizar e evangelizar.

De outro lado lideranças Socialistas escravizam os trabalhadores, explorando as tarifas sindicais que se somam aos milhões de reais dos Governos destinados aos sindicatos de trabalhadores para manter a sobrevivência da ideologia de seus lideres, que vivem distante da realidade de quem trabalha e produz.

O AGRONEGÓCIO é responsável pela “transformação do mundo nas ultimas décadas”, concordamos que sim. Até porque os homens ricos e pobres se multiplicaram, chegaram nos anos de 1800 somando cerca de 1 bilhão de pessoas e em meio a toda biodiversidade, sem qualquer agrotóxico, grande parte deles morreram  as mínguas.

O mundo se transformou nas ultimas décadas,…Sim, ….e como mudou!!! Hoje a população mundial beira os 7 bilhões de habitantes e graças ao processo cientifico e tecnológico adotado pelo AGRONEGÓCIO BRASILEIRO, o País esta sendo considerado o seleiro do mundo, e através do mercado globalizado tem importado insumos para  produzir e exportado alimentos com qualidade e sanidade.

Finalizando, ….podemos afirmar que o regime capitalista garante a organização do sistema produtivo em todo o Mundo, e a tecnologia nos permite produzir alimentos e preservar o meio ambiente, com a certeza que mais cedo ou mais tarde a Sociedade Brasileira irá decidir se defende os Produtores Rurais do País para continuar produzindo e garantindo o abastecimento interno de alimento, ou se deve se integrar aos “movimentos socialistas e ambientalistas” que pretendem através de suas ideologias subdividir o patrimônio, socializar o trabalho e colher os resultados em beneficio de seus lideres.    

No AGRONEGÓCIO BRASILEIRO, tem espaço para os pequenos, os médios e os grandes produtores rurais investir no sistema de produção dos alimentos orgânicos, dos convencionais ou transgênicos.

Você tem espaço para criar e comercializar os animais considerados caipira ou pé duro até os melhorados geneticamente, mas saiba você antes, que  cada um destes produtos exige uma determinada tecnologia, recomendada pelo processo científico,  acompanhada pela classe de profissionais formados em ciências agrárias e medicina veterinária. Todos são produzidos com sucesso por quem tem VOCAÇÃO AGROPECUÁRIA E NÃO SIMPLESMENTE IDEOLOGIA.

Por Valdir Edemar Fries

Sobre valdirfries

Téc. Agropecuário - 1980. Extensionista Rural da ACARPA/EMATER-Pr entre os anos 1981 a 1987, com serviços prestados nas regiões de UNIÃO DA VITÓRIA, CURITIBA, PATO BRANCO. Na região de MARINGÁ trabalhou mais especificamente na RECUPERAÇÃO E CONSERVAÇÃO DE SOLO E ÁGUA - responsável téc. a nível de campo na implantação da adequação das estradas rurais nos municípios de FLORESTA E ITAMBÉ - Pr, concluindo os trabalhos do sistema de microbacias integradas em 100 % da área territorial dos dois municípios). PLANEJAMENTO E ASSESSORIA AGROPECUÁRIA - 1987 a 1996 em áreas do Estado do Paraná e do MATO GROSSO (Nova Mutum, Lucas do Rio Verde e Sorriso). Secretário de agricultura e meio ambiente de Itambé - Paraná de 88 a 1996. Vereador em Itambé - 97 a 2000. PLANEJAMENTO E ASSESSORIA PÚBLICA a partir de 1996, Com especialização na elaboração de planos de trabalho dos programas de governo; SICONV; De 1997 a 2010 realizou o acompanhamento e tramitação de processos de convênio de Municípios Paranaense junto aos Ministérios de Estado em Brasilia. Produtor Rural - Itambé Pr, a partir de 2008 tem se dedicado principalmente nas atividades da produção agrícola e na edição de artigos relacionados ao AGRONEGÓCIO BRASILEIRO.
Esse post foi publicado em Notícias e política. Bookmark o link permanente.