UMA VERDADEIRA BUCHA DE CANHÃO diante de um verdadeiro estado de PÉ DE GUERRA

Junho de 2013, marcado por MANIFESTAÇÕES, PROTESTOS, PARALISAÇÕES E INVASÕES, é o BRASIL transformado em verdadeiro estado de PÉ DE GUERRA.

A Frente Parlamentar da Agropecuária convocou os produtores rurais para se manifestar em Protestos com relação as QUESTÕES DE DEMARCAÇÃO DE TERRAS INDÍGENAS, afirmávamos ainda no inicio do mês em ARTIGO AQUI PUBLICADO que: As questões AGRÁRIAS que se acirram em todo o território Brasileiro é apenas uma ponta de todos os fatos que vem provocando o detrimento social e econômico dos inúmeros setores da  sociedade Brasileira.”

Em meio ao inicio das MANIFESTAÇÕES do MOVIMENTO DO PASSE LIVRE, no 14 de junho, de forma pacifica os PRODUTORES RURAIS realizaram seus protestos e paralisações de forma pacifica, sem qualquer incidente.

A repercussão das MANIFESTAÇÕES DOS PRODUTORES RURAIS nos meios de comunicação ficaram por conta do CANAL RURAL, Site NOTICIAS AGRÍCOLAS e C2RURAL, entre outros do setor agropecuário, além é claro do BLOG DO TIO REI (http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/terra-de-indio-a-politica-indigenista-brasileira-virou-terra-de-ninguem/ que redigiu e publicou inúmeros artigos sobre a questão indígena).

Para as MANIFESTAÇÕES DOS PRODUTORES RURAIS, A chamada GRANDE MÍDIA, não deu espaço a nível nacional, nem mesmo o Programa GLOBO RURAL  que vai ao ar todas as manhãs, no dia 14/0613 se quer vimos uma chamada em relação a paralisação, pior ainda, no programa de domingo o espaço de repercussão das manifestações pacificas realizadas em diversos estados foi: ZERO! Não invadimos, Não depredamos, não linchamos ninguém, consequentemente nossas ações em defesa dos interesses dos produtores rurais não se repercute.

A COMISSÃO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL, com o apoio de poucos Deputados guerreiros da Frente Parlamentar, vem trabalhando para tentar reverter a situação em relação as invasões e as demarcações por parte da FUNAI.

Nada foi definido até agora, até porque na audiência realizada em Mato Grosso do Sul, o que se ouviu foi promessa do Secretário da Presidência da Republica de comprar as terras invadidas por parte da UNIÃO, mas de nada adiantou, uma vez que índios voltaram provocar novas invasões.

De outro lado, nas cidades, as pessoas continuaram indo para as ruas, a grande maioria de forma pacifica, mas o GOVERNO SÓ ACORDOU, quando pequenos grupos de pessoas, chamados de “minoria” passou a depredar e tentar invadir prédios públicos…A partir dai, espaço na chamada grande mídia não faltou, transmissão ao vivo, e enquanto a grande massa de pessoas se manifestava de forma pacifica cada qual com suas reivindicações, os holofotes registram  verdadeiro estado de PÉ DE GUERRA.

Estático diante do que se passava nas ruas, o Governo passou a agir a partir do momento que o quebra quebra foi aumentando, primeiro o PODER EXECUTIVO parou para ouvir e atendeu as reivindicações do Movimento Passe Livre, baixando o valor das tarifas de ônibus, trem e metro. assim seus lideres se declinaram e anunciaram o fim do manifesto, o movimento passe livre ia dar uma trégua.

No entanto as manifestações continuaram, e chegou a hora do PODER LEGISLATIVO se manifestar, o povo seguiu nas ruas contra a PEC – 37, O projeto já tinha sua aprovação prevista para o dia 26 e dada como certa pelos lideres dos Partidos, os Deputados antecederam a votação e votaram CONTRA A PEC – 37, mais um resultado das ruas.

No palácio do Planalto a Presidente Dilma convocou o apoio de um verdadeiro batalhão de choque, representantes da SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, GOVERNADORES, SENADORES, DEPUTADOS, PREFEITOS e até da OAB, Dilma desesperada se transforma em vitima, assessora por um bando de Ministros INCOMPETENTES, indicados pela massa de manobra dos PARTIDOS POLÍTICOS que fazem parte das Bases do Governo.

Volto a registrar :As questões AGRÁRIAS que se acirram em todo o território Brasileiro é apenas uma ponta de todos os fatos que vem provocando o detrimento social e econômico dos inúmeros setores da  sociedade Brasileira.

O setor do AGRONEGÓCIO BRASILEIRO conclama por soluções pacificas, HUMILHADOS e DESCRIMINADOS por diversos setores do Governo e da sociedade, mais uma vez nos vimos na obrigação de nos MANIFESTAR EM PROTESTO”.

Hoje de forma silenciosa produtores rurais de todo o País devem acompanhar a transmissão e as noticias em relação a reunião da COMISSÃO AGROPECUÁRIA, para participar desta reunião PRODUTORES RURAIS DO RIO GRANDE DO SUL, percorrem à suas custas  3.700 km (entre ida e volta) para defender suas terras, que é deles com o direito de propriedade legalmente garantido pela constituinte.

COMISSÃO DISCUTE QUESTÕES INDÍGENAS, com a participação do Secretário Geral da Presidência da Republica, lá estará também os produtores rurais que tem suas terras invadidas e ameaçadas de expropriação, lá estarão mais uma vez os produtores rurais, mais um ATO de reivindicando de forma pacifica o que é de direito, e sem saber, podemos mais uma vez estar realizando mais ATO servindo de estopim para a FORÇA DE MANOBRA POLÍTICA DO PODERES CONSTITUÍDO!   

Volto a afirmar: “Os TRÊS PODERES DA REPÚBLICA se completam, e podem garantir a unidade, o desenvolvimento social e o crescimento econômico de toda nação, se estes poderes constituídos promulgassem seus oficios, implementando e aplicando os atos constitucionais.” 

Para NÓS PRODUTORES RURAIS, nos restou a verdadeira BUCHA DE CANHÃO, o Secretário GILBERTO CARVALHO, o responsável oficial dos “movimentos sociais” pra não dizer das ONGs, CIMI, MSTs, MPLs e …

Por Valdir Edemar Fries.

Sobre valdirfries

Téc. Agropecuário - 1980. Extensionista Rural da ACARPA/EMATER-Pr entre os anos 1981 a 1987, com serviços prestados nas regiões de UNIÃO DA VITÓRIA, CURITIBA, PATO BRANCO. Na região de MARINGÁ trabalhou mais especificamente na RECUPERAÇÃO E CONSERVAÇÃO DE SOLO E ÁGUA - responsável téc. a nível de campo na implantação da adequação das estradas rurais nos municípios de FLORESTA E ITAMBÉ - Pr, concluindo os trabalhos do sistema de microbacias integradas em 100 % da área territorial dos dois municípios). PLANEJAMENTO E ASSESSORIA AGROPECUÁRIA - 1987 a 1996 em áreas do Estado do Paraná e do MATO GROSSO (Nova Mutum, Lucas do Rio Verde e Sorriso). Secretário de agricultura e meio ambiente de Itambé - Paraná de 88 a 1996. Vereador em Itambé - 97 a 2000. PLANEJAMENTO E ASSESSORIA PÚBLICA a partir de 1996, Com especialização na elaboração de planos de trabalho dos programas de governo; SICONV; De 1997 a 2010 realizou o acompanhamento e tramitação de processos de convênio de Municípios Paranaense junto aos Ministérios de Estado em Brasilia. Produtor Rural - Itambé Pr, a partir de 2008 tem se dedicado principalmente nas atividades da produção agrícola e na edição de artigos relacionados ao AGRONEGÓCIO BRASILEIRO.
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , , , . Guardar link permanente.