COM UM OLHO NA DIREÇÃO DO PLANTIO, OUTRO NO CLIMA E OS DOIS NO GOVERNO.

Com olho na direção, o produtor rural segue a linha de plantio, riscando a palhada que cobre o solo, depositando na terra as sementes e os fertilizantes necessários para nutrição das plantas. Depositando na terra todos os investimentos disponíveis para o custeio da lavoura, na esperança de produzir e colher uma boa safra e poder continuar a gestão da sua atividade, cumprindo com a vocação que Deus nos deu, a de produzir alimento.

No olhar do CLIMA, falando em termos CLIMÁTICO, vimos no horizonte um céu obscuro. Um obscuro que sinaliza a chegada das chuvas, e segundo indica as previsões dos meteorologistas, podemos manter a esperança de boas chuvas e acreditar em boas perspectivas de produção, o que nos da força e coragem para acelerar o plantio.

Se na visão da climatologia, os meteorologistas tem nos proporcionado boas previsões, sinalizando as mudanças climáticas, mesmo entendendo que são PREVISÕES CLIMÁTICAS, e estas pode se alterar por inúmeros motivos. Seguimos depositando confiança nas previsões meteorológicas, uma vez que estas previsões tem proporcionado inúmeros benefícios ao homem do campo.

PLANTIO SAFRA 1314 001

Seguindo na visão do CLIMA, agora do “CLIMA POLITICO”, podemos afirmar que vimos no horizonte um clima ainda mais obscuro e cheio de incertezas.

No lançamento OFICIAL do plantio da safra 12/13 tivemos um ex-ministro da agricultura que se fez presente no evento que aconteceu em Sorriso no MT, e disse na época estar presente para “OUVIR QUEM PRODUZ” (http://sojabrasil.ruralbr.com.br/noticia/2012/09/projeto-soja-brasil-abre-oficialmente-o-plantio-de-soja-da-safra-2012-2013-em-sorriso-mt-3895796.html).

Neste ano, …Bem, neste ano nem mesmo o atual Ministro da Agricultura apareceu no evento de lançamento OFICIAL do plantio da safra 13/14. O Governo se fez representado pela Ministra Chefe da Casa Civil, e o Ministro da Agricultura representado pelo atual Secretário de Politicas Agrícolas do MAPA.

O “clima” na área governamental é de incertezas, primeiro pelas mudanças Ministeriais que devem acontecer devido as eleições de 2014, e se no ano passado o Ex – Ministro da Agricultura esteve no lançamento do plantio para “ouvir”, neste ano a Ministra esteve em Sinop – MT para prometer investimentos na área de infra estrutura logística, prometeu o que vem sendo prometido a mais de 10 anos.

Do mais, a representante do Governo Federal aproveitou para divulgar mais uma AÇÃO EMERGENCIAL, ação que o governo conseguiu aprovar na Câmara dos Deputados através da Medida Provisória 619, e diz que vai agilizar…

Como se sabe, a tempos este governo só atua com “politicas emergenciais”, nada de planejamento, só “previsões sem muitas ações”, por trás de um CLIMA OBSCURO, cheio de promessas que não podemos acreditar, até porque a própria Ministra esta tenebrosa quanto a possibilidade de podermos ter disponibilizado os produtos autorizados pela MP 619, devido ao “tempo”. Segundo a própria Ministra pronunciou: “Isso vai permitir que liberemos o defensivo que combate a lagarta helicoverpa. Conseguimos também liberar um dos fungicidas para ferrugem asiática, e o segundo já está a caminho. Eu espero que em tempo para servir essa safra”, afirmou a ministra.

Digamos que o CLIMA nos horizontes de Brasilia, estão mesmo difícil de compreender, uma vez que para anunciar uma produção record que a agricultura Brasileira pode alcançar nesta safra de soja de 2013/2014, a Casa Civil descartou os números “muitas vezes equivocados” das previsões de safra da CONAB, e passou a usar os números fornecidos pelo Departamento Americano…Segundo informa o portal de noticias da Casa Civil: “Dados do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos estimam que essa safra deva atingir 88 milhões de toneladas, colocando o Brasil na liderança mundial na produção de oleaginosa. Em seu discurso a ministra enfatizou a importância dessa produção e disse que as estimativas internacionais refletem o sucesso de toda a agricultura brasileira”.  (http://www.casacivil.gov.br/noticias/2013/09/gleisi-participa-da-abertura-oficial-do-plantio-da-safra-de-soja-2013-2014-em-mato-grosso).

Seguimos assim, com um olho na direção do plantio, outro no clima e os dois no governo, contamos sempre com as previsões climáticas dos meteorologistas, até porque em Brasilia, sai Governo e entra Governo, e a “previsão” que temos, é que nem um  tem condições de proporcionar um CLIMA politico que nos de ao menos uma expectativa para gerar esperança de que o Governo promova algo que aconteça em beneficio da Agricultura Brasileira…

Se as estimativas internacionais refletem o sucesso de toda agricultura Brasileira, o Governo Brasileiro deveria ao menos reconhecer a sua falta de planejamento e de capacidade para implantar uma POLITICA AGROPECUÁRIA SÉRIA… A Ministra fez uso de dados Americanos para ilustrar sua noticia, aqui usamos um dado da OCDE (cicla em português do clube dos países ricos), que indica que o apoio Estatal do Brasil vem investido em beneficio da produção AGROPECUÁRIA é de apenas 5,7 % de toda renda agrícola, enquanto nos Estados Unidos é de 12% e na União Européia e de 29%, conforme informa o The Economist – http://www.economist.com/topics/brazil.

Estamos de olho, seguindo a direção do plantio, porque os custos da produção quem paga é quem produz, independentemente das condições climáticas da meteorologia ou do clima politico que devemos enfrentar pela frente. O nosso objetivo é produzir cada vez mais, mesmo com todos os riscos, o agronegócio continua prosperando e refletindo o sucesso no mundo todo, só não é reconhecido pelo Governo do próprio País, nem mesmo pela grande maioria da sociedade Brasileira.

Por Valdir Edemar Fries.

Sobre valdirfries

Téc. Agropecuário - 1980. Extensionista Rural da ACARPA/EMATER-Pr entre os anos 1981 a 1987, com serviços prestados nas regiões de UNIÃO DA VITÓRIA, CURITIBA, PATO BRANCO. Na região de MARINGÁ trabalhou mais especificamente na RECUPERAÇÃO E CONSERVAÇÃO DE SOLO E ÁGUA - responsável téc. a nível de campo na implantação da adequação das estradas rurais nos municípios de FLORESTA E ITAMBÉ - Pr, concluindo os trabalhos do sistema de microbacias integradas em 100 % da área territorial dos dois municípios). PLANEJAMENTO E ASSESSORIA AGROPECUÁRIA - 1987 a 1996 em áreas do Estado do Paraná e do MATO GROSSO (Nova Mutum, Lucas do Rio Verde e Sorriso). Secretário de agricultura e meio ambiente de Itambé - Paraná de 88 a 1996. Vereador em Itambé - 97 a 2000. PLANEJAMENTO E ASSESSORIA PÚBLICA a partir de 1996, Com especialização na elaboração de planos de trabalho dos programas de governo; SICONV; De 1997 a 2010 realizou o acompanhamento e tramitação de processos de convênio de Municípios Paranaense junto aos Ministérios de Estado em Brasilia. Produtor Rural - Itambé Pr, a partir de 2008 tem se dedicado principalmente nas atividades da produção agrícola e na edição de artigos relacionados ao AGRONEGÓCIO BRASILEIRO.
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , , , . Guardar link permanente.