LEI DETERMINA O VAZIO SANITÁRIO DA SOJA…CUMPRA-SE A LEI.

De acordo com a lei 11.200/1997, instituída e regulamentada no Estado do Paraná através da resolução 120/2007, estabelece o vazio sanitário da soja no período de 15 de junho a 15 de setembro de cada ano.

Com o objetivo de evitar a disseminação/proliferação de doenças fúngicas, em especial à ferrugem, uma das mais agressivas doenças nas lavouras de soja do Estado do Paraná e de todo o território Brasileiro… Em Muitos Estados do Brasil o período se inicia no dia 15 de Junho outros no dia 1 de julho… No entanto, em todos os Estados que adotaram o vazio sanitário, os produtores rurais estão sujeitos a multa, perda do direito ao crédito agrícola e até ser condenado a eliminar as lavouras e ou a apreensão da produção. Todas plantas de soja em beira de estradas, carreadores e rodovias, devem ser eliminadas pelos produtores rurais que tem o direito de cultivo das áreas que margeiam as estradas, carreadores  e até nos acostamentos das rodovias…

Outro fator preocupante neste ano, é a questão do cultivo da soja safrinha, onde pudemos observar muitos cultivos da soja em especial no sudoeste, oeste e até no noroeste do Estado do Paraná…

Toda estas lavouras deveriam estar colhidas até o dia 15, no entanto em muitos casos principalmente na região entre Campo Mourão e Goioerê, produtores rurais não conseguiram efetuar a colheita, e nestes casos, tanto nestas regiões como em todo o território Estadual, certamente os técnicos da Agencia de Defesa Sanitária Vegetal da SEAB – Secretaria de Estado da Agricultura e Pecuária do Paraná, devem estar realizando a fiscalização para tomar as medidas determinadas em Lei.   SAM_0822   Aos produtores que cultivaram a soja safrinha e colheram antes do período do inicio do vazio, o recomendado é que realizem a dessecação das plantas que emergiram formando as resteva da soja… Isto tudo deve estar sendo realizado e eliminado até o dia 15 de junho… SOJA - VAZIO SANITÁRIO 005Muitos produtores da soja safrinha, estão em defesa da viabilidade de se continuar o cultivo nos próximos anos, porém isto só se tornara viável tecnicamente, e poderá ser legalmente recomendado em determinadas regiões do País, se o produtor rural observar e realizar adequadamente o vazio sanitário da soja, do contrário o próprio produtor rural estará colocando em risco a viabilidade do cultivo da soja do ciclo normal, uma vez que as plantas hospedeiras disseminam e proliferam as doenças levam ao aumento dos custos das lavouras e comprometem a produção da soja nas safras seguintes.

Lei é Lei, e dado ao tempo em que a Lei 11.200/97 e a própria resolução 120/2007 esta em vigor, nem um produtor rural poderá argumentar o desconhecimento da obrigatoriedade de se realizar o vazio sanitário da soja. Fique atento ao que termina a Lei em seu Estado do Brasil.

Por Valdir Edemar Fries.

Sobre valdirfries

Téc. Agropecuário - 1980. Extensionista Rural da ACARPA/EMATER-Pr entre os anos 1981 a 1987, com serviços prestados nas regiões de UNIÃO DA VITÓRIA, CURITIBA, PATO BRANCO. Na região de MARINGÁ trabalhou mais especificamente na RECUPERAÇÃO E CONSERVAÇÃO DE SOLO E ÁGUA - responsável téc. a nível de campo na implantação da adequação das estradas rurais nos municípios de FLORESTA E ITAMBÉ - Pr, concluindo os trabalhos do sistema de microbacias integradas em 100 % da área territorial dos dois municípios). PLANEJAMENTO E ASSESSORIA AGROPECUÁRIA - 1987 a 1996 em áreas do Estado do Paraná e do MATO GROSSO (Nova Mutum, Lucas do Rio Verde e Sorriso). Secretário de agricultura e meio ambiente de Itambé - Paraná de 88 a 1996. Vereador em Itambé - 97 a 2000. PLANEJAMENTO E ASSESSORIA PÚBLICA a partir de 1996, Com especialização na elaboração de planos de trabalho dos programas de governo; SICONV; De 1997 a 2010 realizou o acompanhamento e tramitação de processos de convênio de Municípios Paranaense junto aos Ministérios de Estado em Brasilia. Produtor Rural - Itambé Pr, a partir de 2008 tem se dedicado principalmente nas atividades da produção agrícola e na edição de artigos relacionados ao AGRONEGÓCIO BRASILEIRO.
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado . Guardar link permanente.