ANO INTERNACIONAL DO SOLO – A INFLUÊNCIA DO SOLO E A IMPORTÂNCIA DA SUA CONSERVAÇÃO PARA A HUMANIDADE

Ao longo das ultimas décadas a Organização das Nações Unidas tem definido em assembléia assuntos estratégicos para se colocar em debate, tem declarado o debate de cada elemento e ou segmento ano a ano. Assim foram debatidos junto a toda sociedade em diversos países a importância e a influencia de cada elemento e a necessidade de se conscientizar dos fatos na busca de soluções para a sua recuperação e conservação para a preservação da vida na terra.

Para este ano de 2015, esta declarado o ANO INTERNACIONAL DO SOLO.

O SOLO é um elemento de extrema influencia em todos os processos de toda a biodiversidade…

Porém toda esta influencia do solo não é de conhecimento da maioria da sociedade, motivo pelo qual deveria se dar maior destaque no debate, no entanto o elemento solo na sua importância e a necessidade da sua conservação não teve maior destaque junto a sociedade, também não tem recebido a atenção de grande parte das autoridades Governamentais e muito mesmo das Instituições oficiais de meio ambiente. Por se tratar de um elemento essencial à vida e toda a diversidade do meio ambiente, deveria ao menos ter chamado a atenção dos que se auto definem como verdadeiros “ambientalistas” defensores ativistas de todas as causas, menos da questão solo.

… Bem, para os tais “ativistas” quando o assunto é solo, estes devem ter tirado suas férias neste ano de 2015, já que por desconhecimento da sua importância, por maior que for o debate seria, e realmente é muito difícil sensibilizar e causar maior impacto junto a toda sociedade para que lhes rendesse alguns dividendos. Por maior que for o debate em relação ao elemento solo, os tais “ambientalistas” ligados a tantas ONGs não conseguiriam provocar e atingir as pessoas com o pavor de terrorismo a exemplo do acontece com assuntos relacionados a água, a preservação das florestas, o clima, a sustentabilidade… Para os ambientalistas das ONGs o melhor mesmo é continuar debatendo o tal aquecimento global que por se tratar de um fator abstrato lhes rende maires dividendos sem qualquer investimento.

Destacar a importância e implementar Programas de conservação do solo requer investimentos e isso assusta qualquer um, principalmente os Governantes, até porque investir na questão solo, por mais que se invista, tudo fica no esquecimento, praticas desta natureza NÃO  aumenta a popularidade dos governantes e como citamos, não rende dividendos aos naturebas que ao longo dos tempos tem tomado para si as glorias planetária de toda conservação e preservação da natureza.

Sem maiores impactos junto a sociedade o debate em relação ao Ano Internacional do Solo acaba no esquecimento e ou melhor no “deixa pra lá” tanto por parte dos “ambientalistas” como também por parte dos governos populistas.

Podemos afirmar que em termos de Programas de Governo, tínhamos no passado muito mais investimentos em Programas de conservação de solo do que temos hoje. Tínhamos no passado, principalmente no Estado do Paraná, Governantes que sabiam da importância do elemento solo e sua influencia em todo o processo da biodiversidade.

Tínhamos no passado grandes investimentos governamentais para eliminar o processo erosivo do solo e assim preservar todas as nascentes e mananciais de água… O assunto solo era tratado como um Programa de Estado e não simplesmente Programa de Governo.

Particularmente, como profissional da EMATER PARANÁ na década de 80, tive a oportunidade de trabalhar por um período que envolveram três governos com um só objetivo :  “Investir na CONSERVAÇÃO DO SOLO para preservar as águas e garantir a sustentabilidade” as palavras recuperar e conservar o solo foi um tema debatido junto aos produtores rurais dia a dia, o que resultou na conscientização da grande maioria dos produtores rurais que passaram a investir na reestruturação do solo, bem como o estado e municípios se juntaram em um grande mutirão no combate a erosão provocada pelo escoamento das águas das chuvas no leito das estradas vicinais.

ESTRADAS VICIANIS - MICROBACIAS 005

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A mais de trinta anos já sabíamos que a conservação e o bom manejo do solo são fundamentais para garantir o volume de água no solo e nos mananciais, o solo bem manejado da vida as plantas, estradas adequadas com um sistema integrando as propriedades rurais também ajudaram na contenção das águas e consequentemente evita a erosão do solo e o assoreamento dos córregos e ribeirões.

operções agrícolas 065

Todo investimento sempre será necessário para a adequação do sistema viário de acesso às propriedades rurais, é a somatória da integração de todas as praticas de conservação do solo  para conter e aumentar a capacidade de infiltração das águas das chuvas que garantem a qualidade da estrutura do solo e permite o sucesso do plantio direto na palhada.SOJA 20122013 003

CONSERVAÇÃO DO SOLO E CONTENÇÃO DAS ÁGUAS – UMA PRÁTICA QUE NÃO DEVE SER ESQUECIDA… Após a cada colheita o bom manejo do solo requer investimentos periódicos na adequação do sistema de terraceamento para aumentar a capacidade de contenção das águas superficiais quando da ocorrência de um longo período de chuvas com altas precipitações pluviométricas..

Passados mais de trinta anos do inicio do Programa de Conservação de solo e água, o Governo do Estado do Paraná retomou os trabalhos do Programa de Microbacias no ano de 2014, e já vem implantando novas unidades demonstrativas em determinadas comunidades, muito a de se refazer, muito há de aprendermos, e nos conscientizarmos de uma vez por todas que o solo é  no nosso maior patrimônio.

SAM_4169

Ao longo dos anos, mesmo com uma boa cobertura de solo, não devemos esquecer da manutenção/recuperação do sistema de terraceamento aumentando capacidade de retenção de grandes volume de água na bacia dos terraços (murunduns).

SAM_4160

SAM_4166A somatória de conhecimento e dos investimentos  asseguram inúmeras ações técnicas e práticas que ajudam na melhoria da estrutura do solo e consequentemente na preservação das águas, resultando na garantia de toda biodiversidade na terra.

MANEJO DE SOLO 008

É no períodos de entre safras que devemos nos preocupar com a correção dos elementos químicos e orgânicos que compõe o solo, para garantir uma boa safra e todo sistema de sustentabilidade ambiental.

SAM_4308

2015… DE JANEIRO A DEZEMBRO – ANO INTERNACIONAL DO SOLO… Pouco ouvimos falar em grandes investimentos, pouco esta sendo investido.

Poucos são os Governantes que demonstram interesse em implementar ações direcionadas à recuperação e preservação do solo, mas sempre há esperança que tudo se concretize, mesmo sabendo que muitos dos Governantes Estaduais que assumiram o mandato para a gestão 2015/2018 nem se quer se pronunciaram em relação a Programas de  investir no solo.

SAM_4317

Enquanto isso ao menos os produtores rurais não se cansam de buscar informações, debater a questão em eventos específicos do agronegócio com a participação e o apoio de poucos canais de informações que se dispõe a divulgar e transmitir a difusão das tecnologia e da produção… É o produtor rural que esta investindo cada vez mais na recuperação e conservação do SOLO, e todo este investimento tem por objetivo o aumento dos índices de produtividade de suas lavouras e toda sustentabilidade do sistema ambiental que envolve o elemento solo. 

Por Valdir Edemar Fries – Produtor rural.

Sobre valdirfries

Téc. Agropecuário - 1980. Extensionista Rural da ACARPA/EMATER-Pr entre os anos 1981 a 1987, com serviços prestados nas regiões de UNIÃO DA VITÓRIA, CURITIBA, PATO BRANCO. Na região de MARINGÁ trabalhou mais especificamente na RECUPERAÇÃO E CONSERVAÇÃO DE SOLO E ÁGUA - responsável téc. a nível de campo na implantação da adequação das estradas rurais nos municípios de FLORESTA E ITAMBÉ - Pr, concluindo os trabalhos do sistema de microbacias integradas em 100 % da área territorial dos dois municípios). PLANEJAMENTO E ASSESSORIA AGROPECUÁRIA - 1987 a 1996 em áreas do Estado do Paraná e do MATO GROSSO (Nova Mutum, Lucas do Rio Verde e Sorriso). Secretário de agricultura e meio ambiente de Itambé - Paraná de 88 a 1996. Vereador em Itambé - 97 a 2000. PLANEJAMENTO E ASSESSORIA PÚBLICA a partir de 1996, Com especialização na elaboração de planos de trabalho dos programas de governo; SICONV; De 1997 a 2010 realizou o acompanhamento e tramitação de processos de convênio de Municípios Paranaense junto aos Ministérios de Estado em Brasilia. Produtor Rural - Itambé Pr, a partir de 2008 tem se dedicado principalmente nas atividades da produção agrícola e na edição de artigos relacionados ao AGRONEGÓCIO BRASILEIRO.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.