PARALISAÇÃO GERAL – PRODUTORES RURAIS E CAMINHONEIROS NÃO SUPORTAM MAIS OS CUSTOS DOLARIZADOS, E A RENDA EM CENTAVOS DE REAIS.

A dolarização dos preços dos combustíveis esta provocando o caos econômico no BRASIL … O setor produtivo da AGROPECUÁRIA BRASILEIRA já não suporta o aumento constante dos preços do óleo diesel, do aumento da carga tributária, e da insegurança jurídica…

Se os custos da produção agropecuária comprometem a produção de alimentos, o setor dos TRANSPORTES é onerado e massacrado com a oscilação diária dos preços do petróleo…

Sem alternativas, diante do caos, produtores rurais e caminhoneiros se obrigam a paralisar rodovias para ALERTAR A SOCIEDADE BRASILEIRA, que mais dias menos dias, toda esta carga tributária e aumento dos custos da produção agropecuária e dos transportes, vai parar na sua mesa.

Não existe mais condições de se produzir e transportar com os custos DOLARIZADOS, e receber o rendimento de todo produto e trabalho em CENTAVOS DE REAIS…

Os GOVERNOS continuam com os gastos públicos disparados, sem nada produzir…

Numero de Ministérios não foram reduzidos, cartões corporativos não foram cortados, e ao que se vê e se Lê, em manchetes publicadas, é o Poder Executivo e o Poder Legislativo, fazendo uso  de toda estrutura pública administrativa, sendo utilizada nas negociatas “politicas” para se aprovar Projetos de Lei que permitem o aumento do deficit público…

Uma verdadeira maquina pública atolada em uma crise moral e econômica, que não tem neste País, nem um setor produtivo da economia Brasileira que resista rebocar tamanho descalabro provocado pela corrupção e pela politicagem instalada no Governo Brasileiro.

Não temos outra alternativa, a não ser, simplesmente parar…

Parar de produzir e parar de transportar, mesmo sabendo que o cidadão Brasileiro, trabalhador, pai de família, não venha encontrar o litro de leite no mercado, o pão na padaria, e ficar sem feijão e o arroz na sua mesa.

Continuaremos vigilantes, intensificando as paralisações e buscando a ORDEM E O PROGRESSO através de um entendimento politico e econômico do GOVERNANTES, que venha viabilizar o setor produtivo da AGROPECUÁRIA BRASILEIRA na produção de alimentos, e garantir as condições de transporte de todo produto, gerando economia e renda à toda sociedade Brasileira…

Enquanto isso não acontecer, continuamos parados…

Continuamos parados, quantos dias e noites que se fizerem necessário, para que os Governantes assumam suas responsabilidades para as quais foram eleitos.

Por Valdir Fries – Produtor rural em Itambé, Paraná.

Sobre valdirfries

Téc. Agropecuário - 1980; Extensionista Rural da ACARPA/EMATER-Pr entre os anos 1981 a 1987, com serviços prestados nas regiões de UNIÃO DA VITÓRIA, CURITIBA, PATO BRANCO. Na região de MARINGÁ trabalhou mais especificamente na RECUPERAÇÃO E CONSERVAÇÃO DE SOLO E ÁGUA - responsável téc. a nível de campo na implantação da adequação das estradas rurais nos municípios de FLORESTA E ITAMBÉ - Pr, concluindo os trabalhos do sistema de microbacias integradas em 100 % da área territorial dos dois municípios); PLANEJAMENTO E ASSESSORIA AGROPECUÁRIA - 1987 a 1996 em áreas do Estado do Paraná e do MATO GROSSO (Nova Mutum, Lucas do Rio Verde e Sorriso); Secretário de agricultura e meio ambiente de Itambé - Paraná de 1988 a 1996; PLANEJAMENTO E ASSESSORIA PÚBLICA a partir de 1996, Com especialização na elaboração de planos de trabalho dos programas de governo; SICONV; De 1997 a 2010, realizou o acompanhamento e tramitação de processos de convênio de Municípios Paranaense junto aos Ministérios de Estado em Brasilia. PRODUTOR RURAL EM ITAMBÉ - PARANÁ; A partir de 2008, tem se dedicado principalmente nas atividades da produção agrícola, e na edição de artigos relacionados ao AGRONEGÓCIO BRASILEIRO. Tem participado constantemente de Seminários e Fóruns de Debates do setor produtivo, e em manifestações públicas em defesa dos interesses dos Produtores Rurais em atividades além da porteira, sempre em busca de garantir e promover o desenvolvimento econômico e social do AGRONEGÓCIO BRASILEIRO.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.