NO CAMPO DIGITAL O AGRO ESTA CONECTADO, O GRANDE DESAFIO A SER VENCIDO É CONECTAR O ESTADO NO MUNDO DIGITAL.

O 6° FORO DE AGRICULTURA DE AMÉRICA DEL SUR promovido pela equipe do AGRONEGÓCIO GAZETA DO POVO, nos chama a atenção, em especial a minha, como produtor rural que sou…

O CAMPO DIGITAL E CONECTDO. O Grande desafio do século 21, um Tema que busca mostrar a importância de estarmos conectados, e todas “as variáveis que impactam no agronegocio” como bem frisou o Diretor de jornalismo do Agronegocio e coordenador do evento GIOVANI FERREIRA… Sucessão, Gestão e Tecnologia, é o Campo do Futuro e em Transformação, destacou o Coordenador na abertura do evento, lembrando que já no 1° FORO realizado em 2013 tinha por objetivo e  já buscava trazer para o debate toda está inovação das tecnologias digitais, com o Tema O NOVO CICLO DE EXPANÇÃO DO AGRONEGÓCIO.

Neste século 21, com toda a melhoria de acesso ao sistema digital, nós produtores rurais temos investido em instrumentos tecnológico para nos manter conectados com o sistema produtivo e econômico de um Mundo Globalizado.

Conectados com a mídia do AGRO, buscamos diariamente as informação que geram conhecimento.

Informações que nos da sustentação na busca de inovação tecnológica e de mercado, para garantirmos o aumento da produtividade e da renda do setor produtivo do AGRO.

O produtor tem feito a sua parte, os meios de comunicação também, e eventos de debate como este que acontece, podemos sentir que produtores rurais estão agilizando a gestão da produção e dos negócios fazendo uso de ferramentas digitais. Como produtor rural devo aqui ressaltar que O CAMPO está cada dia mais conectado na busca de informação, tecnologia e ferramentas digitais embarcadas em máquinas e equipamentos, para melhor operacionalizar e gerir seus negócios.

Plantamos tecnologia e colhemos resultados, porém, se de um lado temos investido e tirado proveito das informações que buscamos, de outro lado sofremos perdas significativas por falta de um ESTADO CONECTADO.

Instituições e Entidades do Estado, NÃO acompanham a evolução digital, a falta de investimento do Estado impede a agilidade da coleta de informações e o processamento de dados essenciais para o setor produtivo.

Neste sentido destacamos aqui o sistema ARCAICO do levantamento e processamento de dados relativos aos levantamentos das estimativas de safra, embora se tenha tecnologia e ferramentas digitais que podem ser desenvolvidas para promover a gestão de dados de forma INSTANTÂNEA, isto NÃO esta tendo atenção por parte do ESTADO.

Conectado no Mundo Globalizado podemos ter acesso a informações que chegam até nós editadas e publicadas em período instantâneo, que nos auxiliam em muito nos negócios, no entanto, muitas destas informações EDITADAS E PUBLICADA na mídia, se tratando de ESTIMATIVA DE PRODUÇÃO, os números divulgados SEMPRE são com base de dados levantados no PASSADO.  É está falta de digitalização e gestão do processamento dos dados, que tem provocado perdas econômicas significativas aos produtores rurais, chegando a provocar o comprometimento de determinadas cadeias do setor produtivo.

Hoje eu diria que O Campo Digital levou o produtor rural a se conectar, e o GRANDE DESAFIO DO SÉCULO 21 para “O NOVO CICLO DE EXPANÇÃO DO AGRONEGOCIO” nada mais é que cobrar a CONECÇÃO do Estado no CAMPO DIGITAL.

Deixo aqui mais uma vez registrado o que venho falando e cobrando, destacando o seguinte:

“Num Mundo Digital e Conectado, nós produtores rurais NÃO podemos mais aceitar continuar realizando a comercialização de nossa produção no MERCADO FUTURO, com base em informações de dados de ESTIMATIVA DE SAFRA coletados no PASSADO” …

Mais um grande Evento promovido pela equipe do AGRONEGOCIO GAZETA DO POVO, que nos detalham informações e nos proporciona conhecimento para ampliar o debate e cobrar um ESTADO CONECTADO na coleta e processamento de dados, em especial no que se refere a gestão dos trabalhos de levantamento e processamento de dados das estimativas de safra, que hoje feito de forma arcaica, o sistema tem provocado perdas significativas da renda de muitas cadeias produtivas..

VALDIR FRIES – Produtor rural em Itambé PR.

Sobre valdirfries

Téc. Agropecuário - 1980; Extensionista Rural da ACARPA/EMATER-Pr entre os anos 1981 a 1987, com serviços prestados nas regiões de UNIÃO DA VITÓRIA, CURITIBA, PATO BRANCO. Na região de MARINGÁ trabalhou mais especificamente na RECUPERAÇÃO E CONSERVAÇÃO DE SOLO E ÁGUA - responsável téc. a nível de campo na implantação da adequação das estradas rurais nos municípios de FLORESTA E ITAMBÉ - Pr, concluindo os trabalhos do sistema de microbacias integradas em 100 % da área territorial dos dois municípios); PLANEJAMENTO E ASSESSORIA AGROPECUÁRIA - 1987 a 1996 em áreas do Estado do Paraná e do MATO GROSSO (Nova Mutum, Lucas do Rio Verde e Sorriso); Secretário de agricultura e meio ambiente de Itambé - Paraná de 1988 a 1996; PLANEJAMENTO E ASSESSORIA PÚBLICA a partir de 1996, Com especialização na elaboração de planos de trabalho dos programas de governo; SICONV; De 1997 a 2010, realizou o acompanhamento e tramitação de processos de convênio de Municípios Paranaense junto aos Ministérios de Estado em Brasilia. PRODUTOR RURAL EM ITAMBÉ - PARANÁ; A partir de 2008, tem se dedicado principalmente nas atividades da produção agrícola, e na edição de artigos relacionados ao AGRONEGÓCIO BRASILEIRO. Tem participado constantemente de Seminários e Fóruns de Debates do setor produtivo, e em manifestações públicas em defesa dos interesses dos Produtores Rurais em atividades além da porteira, sempre em busca de garantir e promover o desenvolvimento econômico e social do AGRONEGÓCIO BRASILEIRO.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.